Suscitar a palavra a partir de imagens de ficção : uma questão de ciência pública ou de arte pública ? [Raising the word from images of fiction : a matter of public science or public art ?] Article - Juin 2020

Pascal Cesaro, Pierre Fournier

Pascal Cesaro, Pierre Fournier, « Suscitar a palavra a partir de imagens de ficção : uma questão de ciência pública ou de arte pública ? [Raising the word from images of fiction : a matter of public science or public art ?]  », Revista Lusófona de Estudos Culturais, numéro spécial Arte pública para a comunicação turística, juin 2020, pp. 243-255. ISSN 2183-0886. 〈https://rlec.pt/article/view/2213/2679〉

Partindo de um dispositivo de entrevistas particular, recentemente testado como parte de um projeto de pesquisa interdisciplinar que associa Sociologia e Cinema, este artigo propõe uma reflexão sobre os problemas envolvidos no uso da vídeo-elicitação, isto é, da condução de entrevistas suscitadas pela visualização de imagens, neste caso imagens de ficção realistas. Primeiro, podemos ver aí um desafio para a pesquisa em Ciências Sociais, quando a vídeo-elicitação tenta superar uma dificuldade conhecida, que está associada ao risco de imposição da problemática aos entrevistados pelo investigador no contexto da pesquisa por entrevista. Segundo, neste caso é possível extrair, de maneira mais ampla, uma questão para a ciência pública, cidadã, que esteja atenta à implicação dos atores sociais nas perguntas e nas suas análises, com respeito pela sua experiência prática para entrar numa forma de co-construção de conhecimento. Finalmente, podemos detetar aí um desafio artístico com a abertura de um novo repertório de expressão pública, combinando, numa forma de arte pública : a produção artística de um tempo passado (o arquivo audiovisual de ficção) ; a remobilização em escritos multimédia evocando emoção e reação ; e o comprometimento por meio de novas mediações tecnológicas numa apropriação estética da fricção da experiência sensível. Nestas condições de reutilização, os arquivos audiovisuais de ficção poderiam encontrar um novo valor que possa ser associado ao movimento de patrimonialização e à busca de raízes que caracterizem as nossas sociedades globalizadas e em mutações permanentes.

Based on a novel approach to interviewing that was recently applied in the context of an interdisciplinary research project combining sociology and cinema, this article proposes a discussion of the stakes involved in the use of video-elicitation, i.e. the conducting of interviews prompted by the viewing of images, and in this case realistic fiction images. One can first see video-elicitation as an opportunity for social science research when it seeks to overcome a well-known difficulty associated with the risk of having the researcher imposing issues on the re- spondents in the context of an interview survey. On a broader level, one can also see it as an opportunity for a public, citizen-based science that is attentive to the involvement of social actors in their questioning and analysis, and that respects their practical expertise and integrates the latter into a form of co-construction of knowledge. Finally, it can be seen as an artistic opportunity, with the opening up of a new repertoire of public expression combining artistic productions from the past (fictional audio-visual archives), the renewed use of these productions in multimedia works that stimulate emotions and reactions, and the proposal, through new technological media, of an aesthetic appropriation that is closer to sensory experience, and that takes the form of public art. Under these conditions of use, audio-visual fiction archives could find a renewed value that one could associate with the heritage movement and the search for roots that characterize our globalized and ever-changing societies.

Voir la notice complète sur HAL

Actualités